PRÉVIA (n.t.) 12º

Vozes do Esperanto | Voĉoj de Esperanto
Antologia poética

O texto: “Vozes do Esperanto” reúne 14 poetas e escritores em esperanto, de diversas nacionalidades, mediante uma seleção que abarca mais de um século de literatura produzida em Esperanto, língua criada em 1887 por Ludwik Lejzer Zamenhof.
Textos traduzidos: de H. Dresen, Norda Naturo (1967); A. Logvin, Sur la vivovojo (1964); V. Skaljer-Race, Maristo surmaste (1969); C. Conterno Guglielminetti, Eta vivo (1969); E. Urbanová, Nur tri kolorojn (1960), W. Auld, Unufingraj melodioj (1960); R. Passos Nogueira, Vojo kaj vorto (1972); J. Camacho, En la profundo (2013); B. Philippe, Verse reversi (2015); N. Ruggiero, Kanto de l' korvo (2014). E também: Esperanta Antologio 1987-1981, redigido por William Auld, e publicado em 1984.

Os autores: A literatura em esperanto costuma ser dividida em períodos, que variam segundo os críticos. Nesta pequena antologia aparecem poetas que floresceram entre as duas guerras mundiais, como o popular poeta húngaro Julio Baghy (1891-1967), a poeta da natureza, a estoniana Hilda Dresen (1896-1981), o ucraniano Aleksandr Logvin (1903-1980), cuja obra apenas pôde ver a luz décadas mais tarde, e o vanguardista letão Nikolai Kurzens (1910-1959). Após a 2ª Guerra Mundial, a poesia moderniza-se nas formas e temas: a iugoslava Vesna Skaljer-Race (1911-2000), a italiana Clelia Conterno Guglielminetti (1915-1984), a tcheca Eli Urbanová (1922-2012) e o grande poeta escocês William Auld (1924-2006) são bons exemplos. Nos anos 1970 publicaram a poeta grega Despina Patrinu (1930-), a húngara Éva Tófalvi (1947-) e o brasileiro Roberto Passos Nogueira (1949-). Finalmente, o alemão Benoît Philippe (1959-), o espanhol Jorge Camacho (1966-) e o italiano Nicola Ruggiero (1986-) mostram a poesia atual.

O tradutor: Suso Moinhos (Vigo, Galícia) é graduado em Filologia Galega pela Universidade de Santiago de Compostela, onde ministrou aulas de esperanto. Atualmente é estudante de pós-graduação de Interlinguística na AMU em Poznań, Polônia. É um dos redatores da revista literária Beletra Almanako e acaba de publicar seu primeiro livro de poemas, Laminarioj.



☞ A/V. Vozes do Esperanto | Voĉoj de Esperanto.
Trad. Suso Moinhos. (n.t.), n. 12, v. 1, jun. 2016, pp. 307-342.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141