PRÉVIA (n.t.) 4º

Gentes e Culturas - Timor-Leste
Emarkultura - Timor Lorosa'e

Seleção de textos

O texto: Este conto e poesia fazem parte do livro O Crocodilo e o Arco-Íris. Foi criado por 12 escritores do Timor-Leste, durante um Laboratório de criação literária, promovido em 2010. Esta antologia de contos e poesias timorenses faz despertar o desejo pela leitura de fruição ao passo que desperta o desejo por conhecer a história e a cultura do país. Os dois textos apresentados foram escritos em tétum, que é a língua materna do povo de Timor-Leste. Em 2002, o idioma foi escolhido, constitucionalmente, junto ao português, a serem línguas co-oficiais do país. O português, por sua vez, é considerado a língua da história da resistência do povo Maubere.
Texto traduzido: Félix, Gladcya da Silva (Org.). O Crocodilo e o Arco-íris. Díli, Timor-Leste: Universidade Nacional Timor Lorosa'e - UNTL, 2010.

A seleção: A tradição oral é algo que se mantém presente, como o livro, nas novas gerações da cultura timorense. Na hora matinal ou quando o sol se põe, os velhos, ou Lia-Na'in, como são conhecidos, abraçam os netos para adormecê-los, contando-lhe belas passagens da vida transmitidas através da memória. Para os timorenses, o autor ou lia-na'in é como um sábio sagrado, um lulik, uma vez que têm o poder de transmitir a sabedoria.

A tradutora: Irta Sequeira Baris de Araújo nasceu em 1978, em Ainaro, Timor-Leste. Em 2007, graduou-se no curso de licenciatura em Língua Portuguesa e Culturas Lusófonas. Trabalhou como tradutora de tétum-português para portal de notícia (www.sapo.tl). E Atualmente é aluna da Pós-graduação em Educação na Universidade Federal de Santa Catarina.



☞ A/V. Gentes e Culturas - Timor-Leste | Emarkultura - Timor Lorosa'e.
Trad. Irta Sequeira Baris de Araújo. (n.t.), n. 4, v. 1, mar. 2012, pp. 168-172.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141