PRÉVIA (n.t.) 2º

Hierarquia | Gerarchia
Pier Paolo Pasolini

O texto: “Hierarquia” pertence à última fase da produção pasoliniana e integra o conjunto de poesias publicado em Trasumanar e Organizzar (1971). É fruto da passagem do poeta pelo Rio de Janeiro em 1970 e retrata as impressões do intelectual sobre a vida carioca naqueles anos de ditadura. Sua identificação com a periferia levou-o a aventurar-se pelas ruas e favelas da cidade, então dominada por hierarquias, onde os que detêm o poder aproveitam-se da ingenuidade dos jovens, mulheres envelhecem de pobreza e a fragmentação social alimenta a força dos poderosos. Nele, Pasolini escreve com a liberdade linguística de quem abandona esquemas poéticos pré-estabelecidos; enfrenta temas relativos à atualidade e se despe de zelos que, por tradição, habitam o intelecto do poeta. Por “trasumanar”, palavra emprestada de Dante, o autor entende a elevação ao espírito, o escapar das condições humanas adquiridas, e explica que a face oposta de “trasumanar” consiste em “organizzar”, ato unicamente pragmático.
Texto traduzido: Pasolini, Pier Paolo. Trasumanar e organizzar. Milano: Garzanti, 1971.

O autor: Pier Paolo Pasolini (1922-1975) transitou nos mais variados gêneros: da poesia à prosa, do teatro ao cinema. Foi grande questionador da condição social e política de seu país e contribuiu ativamente, através de sua obra, em dar um retrato realista da Itália do pós-guerra até a década de 1970. Sua produção pode ser dividida em quatro fases: a poética, de Poesie a Casarsa (1942) e La meglio gioventù (1954); a segunda, caracterizada pela imersão na realidade subproletária de Roma, com Ragazzi di vita (1955) e Una vita violenta (1959); a terceira, o cinema: como diretor, estendeu seu olhar não só às periferias romanas mas a de outros países, como em Accattone (1961) e Appunti per un film sull’India (1967-1968). Já seus últimos anos foram marcados pelo abandono da tradição, quando passou a se dedicar aos escritos ensaísticos, entre os quais Trasumanar e Organizzar (1971) e Scritti Corsari (1975). A obra de Pasolini é ainda hoje pouco traduzida ao português e sua imagem no Brasil está ligada à sua produção cinematográfica.

A tradutora: Stella Rivello é mestre em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina. É professora de italiano, tradutora e intérprete. Suas pesquisas abrangem Literatura Italiana moderna e contemporânea, Língua italiana e Tradução.



☞ PASOLINI, Pier Paolo. Hierarquia | Gerarchia.
Trad. Stella Rivello. (n.t.), n. 2, v. 1, mar. 2011, pp. 88-99.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141