PRÉVIA (n.t.) 16º

Seis e uma mágoas para o céu
Έξι και μια τύψεις για τον ουρανό

Odysseas Elýtis

O texto: Composto entre 1956 e 1958 e publicado pela primeira vez em 1960, “Seis e uma mágoas para o céu” apresenta um original grego estrito, em versos livres e pulsantes, pontuação desolada e uma sintaxe cabal. A obscuridade ou claridade que resulta se expressa também nos números, como uma chave que se reitera ao longo do poema, qual fórmula mágica, entre culpabilidade e inocência, sonho e realidade, palavra e silêncio.
Texto traduzido: Ελύτης, Ο. Ποίηση. Αθήνα: Ίκαρος, 2002, σελίδες 185-199.

O autor: Odysseas Elýtis, nome literário de Odysseas Alepoudéllis (Οδυσσέας Αλεπουδέλλης), é considerado um dos três gigantes da poesia grega do século XX (ao lado de Kaváfis e Seféris), e um dos grandes poetas do séc. XX em geral. Ganhador do prêmio Nobel de literatura (1979), teve sua obra aclamada e traduzida em diversos idiomas. Em português, permanece pouco divulgado. Sua poesia, conquanto moderna na concepção e na técnica, drena sua seiva da quase trimilenária e sempre viva tradição literária grega, e, sem abandonar o particular helênico, abarca o universal humano. Elýtis nasceu em Iráklio, Creta, em 1911, e morreu em Atenas em 1996.

O tradutor: Miguel Sulis, coeditor da (n.t.), é bacharel em letras (alemão e literaturas de língua alemã), mestre e doutor em literatura pela UFSC. É tradutor, professor de grego e dedica-se aos estudos da tradução. Para a (n.t.) já traduziu Solomós, Rufinos, Kaváfis, Ritsos, Forugh Farrokhzad, Sacher-Masoch e Haris Vlavianos.



☞ ELÝTIS, Odysseas. Seis e uma mágoas para o céu|Έξι και μια τύψεις για τον ουρανό.
Trad. Miguel Sulis. (n.t.), n. 16, v. 1, jun. 2018, pp. 09-33.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141