PRÉVIA (n.t.) 17º

Mel dos espelhos | عَسَل المَرايا
Nafiz Abu Hasna

O texto: “Espelhos e estilhaços” é o 7º capítulo de Mel dos espelhos, de Nafiz Abu Hasna, o romance das cidades por excelência, cujos eventos ocorrem entre Bagdá, Beirute e Gaza. No livro, narra-se a ocupação do Iraque e a devastação de sua antiga civilização; a ocupação israelense em Beirute em 1982; e a ocupação de Gaza, na Palestina, envolta em memória e dor. É também o romance das mulheres do pós-guerra, que se tornam um refúgio para as famílias e as substitutas das pátrias. Neste capítulo, apresenta-se a história de Sanâ e de seus espelhos, mulher feita de rocha e do mar, e de outros personagens ao seu redor, como o casal Abdurrahmân e Salam e o general Jamal. A narrativa faz uso da metáfora dos espelhos, cujos objetos, ao refletirem, capturam e guardam as feições, os sentimentos e os fragmentos das almas sofridas.
Agradecimentos: Ao escritor Nafiz Abu Hasna, por conceder os direitos sobre a tradução deste capítulo e pela liberação do original.

O autor: Nafiz Abu Hasna (1961-) é escritor e jornalista, nascido em Gaza, na Palestina. É bacharel em Língua e Literatura Árabe e Ciências Sociais e mestre em Estudos da Comunicação. Tem inúmeras publicações sobre política e sociologia, além de vários estudos e artigos acadêmicos. Entre suas obras de ficção estão Lugar do pranto (2000) e Mel dos espelhos (2015).

A tradutora: Safa A-C Jubran é professora, livre docente de Árabe na USP. Além de livros, ensaios e estudos publicados, traduziu vários romances árabes modernos, como Miramar, de Naguib Mahfuz, Porta do sol e Yalo, de Elias Khoury, e Nós cobrimos seus olhos, de Alaa Aswany (Prêmio de melhor tradução, ABL, 2014). Para o árabe verteu Milton Hatoum e Martha Batalha. É líder do Grupo de Pesquisa Tarjama: escola de tradução de literatura árabe moderna. Para a (n.t.) traduziu Tamîm Al-Barghouti, Laura Macdissi e Mahmoud Darwish.



☞ HASNA, Nafiz Abu. Mel dos espelhos | عَسَل المَرايا.
Tradª Safa A-C Jubran. (n.t.), n. 17, v. 2, dez. 2018, pp. 43-84.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141