PRÉVIA (n.t.) 7º

A nova saída do sol | We Tripantu
Leonel Lienlaf

O texto: A presente seleção de poemas foi extraída a partir dos dois primeiros livros do poeta mapuche Leonel Lienlaf. Ligadas fortemente à oralidade, são canções-ponte que formam uma única estrutura bilíngue acoplada, em mapudungun e espanhol, mediante as quais o poeta busca refletir sobre o fogo, os sonhos dos ventos entre as araucárias, os sussurros entre as montanhas e os sinais de seus antepassados. Expressa liricamente as raízes de uma realidade mapuche anunciando, ao mesmo tempo, essa mesma realidade em espanhol.
Texto traduzido: Lienlaf, L. Pewma dungu/Palabras soñadas. Santiago: LOM, 2003; e Se ha despertado el ave de mi corazón. Santiago: Universitária, 1989.

O autor: Leonel Lienlaf nasceu em 1969, na comunidade de Alepue, atual Chile. Faz parte de uma geração de poetas bilíngues que escrevem simultaneamente em mapudungun e espanhol, autor dos volumes Se ha despertado el ave de mi corazón (1989) e Pewma dungu/Palabras soñadas (2003) e tradutor da antologia Voces Mapuche/Mapuche Dungu, editada pelo Museu de Arte Pré-colombiana de Santiago do Chile, em 2002. Dedica-se à pesquisa de temas relacionados à cultura mapuche, especialmente à literatura oral, além de ter participado como roteirista e narrador em uma série de documentários sobre conflitos mapuche. Seus poemas já foram traduzidos para o sueco, catalão, francês, inglês e alemão.

A tradutora: Alexis Mariel Vidal Cabezas nasceu em Alto Palena, Chile. É estudante de linguística da Friedrich-Schiller Universität, em Jena, na Alemanha. Formada em Letras e Literaturas Alemãs pela Universidade Federal de Santa Catarina, atualmente escreve seu trabalho de mestrado sobre Lexicologia e lexicografia bilíngue.



☞ LIENLAF, Leonel. A nova saída do sol | We Tripantu.
Trad. Alexis Mariel Vidal Cabezas. (n.t.), n. 7, v. 2, set. 2013, pp. 09-48.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141