PRÉVIA (n.t.) 14º

Editorial
Ge'ez

Em epigrafia, entende-se, por definição, que as inscrições bilíngues ou trilíngues são registros escritos em duas ou três línguas, sendo uma a tradução da outra. Esculpidas em pedras, falésias e estelas, essas inscrições, que remontam ao passado, são importantes, no presente, para a decifração de antigos sistemas de escrita. Legadas pelos antigos para fins... (...)

E ao redor do globo se encontram espalhados alguns exemplos de antigos registros bilíngues, como o Alfabeto de Landa (México), manuscritos do século XVI, em maia e castelhano, e as lâminas de Pirgi (Itália), impressas em etrusco e fenício, ou então, trilíngues, como a famosa Pedra de Roseta (Egito), uma estela de granodiorito grifada... (...)

Esses textos, recuperados pela história e arqueologia modernas, são artefatos emblemáticos não só da epigrafia, mas da tradução. E outro exemplo que se soma a esses registros interlinguais, e que atualmente se conserva na cidade de Axum, na Etiópia, é a Estela de Ezana, esculpida e erguida no século IV d.C. pelo antigo Reino de Axum, uma antiga... (...)

E é neste mesmo viés interlingual que, nesta 14ª edição da (n.t.), trazemos na capa a Estela de Ezana, sítio de entrada para as traduções bilíngues a seguir. Na clássica seção de abertura... (...)


☞ Editorial: Ge'ez. (n.t.), n. 14, v. 1, jun. 2017, pp. 04-05.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141