PRÉVIA (n.t.) 4º

Epigramas | Epigrammata
Décimo Magno Ausônio

O texto: Na obra de Décimo Magno Ausônio, praticamente inédita em português, um dos pontos de maior interesse é a sua coleção de epigramas, composta por pouco mais de cem poemas breves e em que estão representados vários aspectos da sociedade romana de sua época. Curtos e de assuntos variados, os epigramas nasceram na Grécia e foram, mais tarde, levados a Roma, onde conheceram expoentes entre os autores de todas as épocas da literatura latina. Os poemas selecionados para esta publicação tentam dar uma ideia da variedade temática própria ao gênero. Esta seleção tem ainda por objetivo dar a conhecer, ao menos numa pequena amostra, a poesia desse poeta tão pouco traduzido em língua portuguesa.
Texto traduzido: Ausonius. Ausonius in two volumes: with an english translation by Hugh G. Evelyn White (The Loeb Classical Library). Vol.2. London: Harvard University Press, 1985.

O autor: Décimo Magno Ausônio (310-395 d.C.), poeta nascido em Bur-digala (cidade romana equivalente à atual Bordeaux, na França), teve uma cuidada formação intelectual, a partir da qual exerceu o ensino de Gramática e Retórica durante mais de 30 anos e alcançou a honra de se tornar o preceptor de Graciano, filho de Valentiniano, o que lhe garantiu ainda uma posição política de relevo no Império, tendo ocupado diversos cargos públicos. É considerado um dos primeiros autores cristãos em língua latina, apesar de sua obra, bastante extensa, estar muito mais ligada à estética anterior ao advento do cristianismo em Roma, tecendo um constante diá-logo com a tradição literária romana.

O tradutor: Daniel da Silva Moreira atualmente é professor do conjunto de disciplinas de Língua e Literatura Latina do Curso de Graduação em Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). É licenciado em Letras (Língua Portuguesa e literatura correspondente, 2007, e Língua Latina e literatura correspondente, 2010) pela UFJF e mestre em Estudos Literários (2011), também pela UFJF.



☞ AUSÔNIO, Décimo Magno. Epigramas | Epigrammata.
Trad. Daniel da Silva Moreira. (n.t.), n. 4, v. 1, mar. 2012, pp. 09-25.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141