PRÉVIA (n.t.) 8º

Com a licença dos cervantistas | Con permiso de los cervantistas
José Azorín

O texto: Os ensaios aqui apresentados foram selecionados do livro Con permiso de los cervantistas, publicado em 1948. De erudição singular e brilhante capacidade de relação, evidenciam a devoção cervantina de Azorín, levando ao conhecimento não vulgar da obra do célebre autor de Dom Quixote. Ao refletir toda uma época, nos quais se destaca a insistência do escritor clássico (neste caso, Cervantes) em retratar o cotidiano das mulheres, sobretudo as mais jovens, de distintas personalidades, os ensaios que vertem sobre Cervantes e a solidão, o amor, o mar e o cânone feminino, discutem aquela simplicidade quixotesca que transcende e permite elevar-se à mais alta aristocracia: a do espírito.
Texto traduzido: Ruíz, José Martínez. Con permiso de los cervantistas. Madrid: Biblioteca Nueva, 1948.

O autor: José Augusto Trindad Martínez Ruíz (1873-1967), mais conhecido como Azorín, de família tradicional, foi formado em um ambiente religioso e chegou a cursar direito em Valência, abandonando a carreira para dedicar-se ao trabalho jornalístico. Romancista com uma produção literária de grande valor estilístico caracterizada pelo impressionismo descritivo, escreveu inúmeros ensaios e textos em prosa para jornais e revistas. Faleceu em Madrid, deixando um valioso legado literário

A tradutora: Giane Oliveira tem formação no serviço social pela UNITINS e cursa pós-graduação em Tradução de Espanhol pela Estácio-CEPLA. Desenvolve trabalhos principalmente no campo da tradução literária.



☞ AZORÍN, José. Com a licença dos cervantistas | Con permiso de los cervantistas.
Trad. Giane Oliveira. (n.t.), n. 8, v. 1, mar. 2014, pp. 260-284.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141