PRÉVIA (n.t.) 17º

Van Gogh. O suicidado pela sociedade
Van Gogh. Le suicidé de la société

Antonin Artaud

O texto: Ensaio histórico de Artaud sobre a loucura e a morte de Van Gogh (1853-1890), publicado em 1947, por ocasião da exposição dedicada ao pintor holandês pelo Musée de l’Orangerie, no mesmo ano, em Paris. Nele, o autor denuncia a psiquiatria, elaborando uma visão alternativa da loucura, além de deslocar as formas convencionais da escrita, ao apresentar um ensaio poético e autobiográfico, fugindo da estrutura típica desse gênero e reformulando-o. Em 1948, recebeu o prêmio Sainte-Beuve de melhor ensaio.
Fontes consultadas: Artaud, Antonin. Van Gogh. Le suicidé de la société. Paris: K éditeur, 1947; Van Gogh. O suicidado pela sociedade. 2ª ed. Rio de Janeiro: Achiamé, s/d.

O autor: Antoine Artaud (1896-1948) foi um poeta, dramaturgo, ensaísta, romancista, diretor de teatro e ator francês. É autor de uma vasta obra que explora a maioria dos gêneros literários, os quais utilizava como meios para alcançar uma arte absoluta e “total”. Foi o criador do Teatro da Crueldade, uma crítica à cultura do espetáculo, cuja noção exerceu uma grande influência na história do teatro mundial. Entre as décadas de 1920 e 1930, trabalhou em 22 filmes e curtas-metragens. Devido à influência de seu trabalho e de suas ideias dramáticas, foi considerado “o pai do teatro moderno”.

O tradutor: Rui Veiga é o tradutor das edições de Van Gogh. O suicidado pela sociedade, publicadas pela editora carioca Achiamé, na década de 1990.



☞ ARTAUD, Antonin. Van Gogh. O suicidado pela sociedade | Van Gogh.
Le suicidé de la société
. Trad. Rui Veiga. (n.t.), n. 17, v. 2, dez. 2018, pp. 242-297.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141