PRÉVIA (n.t.) 3º

Contra os cachorros | Contre les chiens
Alphonse Allais

O texto: O volume Le bec en l’air - que talvez traduzíssemos, de maneira informal, como “de bico pro ar” - reúne contos humorísticos do hoje esquecido Alphonse Allais. Lançado em 1897, o livro compila cinquenta e uma “histórias curtas” originalmente publicadas em folhetins parisienses de humor. Justifica as aspas em “histórias curtas” certo desconforto ao se tentar categorizá-las em gêneros estanques: ora contos, ora editoriais, ora cartas endereçadas por e aos leitores (uns fictícios, outros não), ora páginas de um diário, os textos reunidos em livros ainda durante a vida do autor atestam a premência em fazer rir seus habituais leitores da época. O texto escolhido testemunha um lugar comum da cultura francesa, a afeição pelos gatos - segundo um viés cômico, a ridicularização dos cachorros e de seus admiradores - e também dá mostras de parte da técnica humorística de Allais, que conversa com o leitor, intervém no fluxo narrativo, brinca com palavras e expressões corriqueiras, cunha sugestivos nomi parlanti etc. Enfim, “história” que se propõe a fazer rir. Resta saber se ainda conseguimos tirar algum riso dessas gagues tão corriqueiras na belle époque.
Texto traduzido: Allais, A. “Contre les chiens”. In. Le bec en l’air. Paris: Paul Ollendorf Éditeur, 1897, pp. 11-18.

O autor: Alphonse Allais nasceu em outubro 1854 na pequena cidade portuária de Honfleur, na Normandia. Filho de um farmacêutico, não tardou a se deixar absorver ainda na juventude pela vida boêmia de Paris. Fez parte de grupos fantasistas, como os Hidropatas, os Hirsutos e o Gato Preto, com cujas publicações periódicas contribuiu. Escreveu centenas de contos, crônicas, editoriais e outros textos curtos publicados regularmente em jornais humorísticos parisienses, reunidos depois em antologias anthumes et posthumes. Por fim, negligenciadas as recomendações médicas, Alphonse Allais morreu aos 51 anos de embolia pulmonar em Paris.

O tradutor: Alexandre Piccolo é doutorando em Letras Clássicas pelo Departamento de Línguística do Instituto de Estudos da Linguagem na Unicamp. Além de demonstrar especial afeição pelo ofício de tradutor e por seus meandros teóricos, dedica-se atualmente ao estudo das alusões homéricas na lírica horaciana.



☞ ALLAIS, Alphonse. Contra os cachorros | Contre les chiens.
Trad. Alexandre Piccolo. (n.t.), n. 3, v. 2, set. 2011, pp. 195-203.


© (n.t.) Revista Literária em Tradução
ISSN 2177-5141